Voltar para a 1ª página
Solidão dobra risco de Alzheimer, diz pesquisa

 

Ser solitário pode trazer diversos problemas à saúde. A mais recente descoberta associa o sentimento de solidão a maiores riscos de desenvolver a Síndrome de Alzheimer na terceira idade. Estudos anteriores já haviam estabelecido ligação entre declínio mental e demência em pessoas que se mantêm isoladas ou têm vida social bem restrita. As informações foram publicadas no Journal of Neurology Neurosurgery and Psychiatry e divulgadas pelo Daily Mail.

Agora, a pesquisa feita na Holanda, pela Sociedade de Alzheimer, investigou o assunto em mais de 2 mil pacientes e verificou que um a cada 10 dos solitários apresentou algum sinal de debilidade mental após três anos. Entre os mais ativos socialmente, a ocorrência foi de um em cada 20. E os riscos são maiores mesmo entre as pessoas que têm amigos, mas ainda assim se sentem solitárias.

'Esses resultados sugerem que o sentimento de solidão contribui para o risco de demência na terceira idade. Interessante que se sentir sozinho mais do que estar sozinho foi associado a casos de demência, sugerindo que não existe fator objetivo, mas que a percepção da falta de vínculos sociais é que aumenta o risco de declínio cognitivo', disse Jessica Smith, especialista da entidade holandesa.

Dedo de Prosa Produções
Rua Riachuelo, 1452 - Sala 205
Bairro Padre Eustáquio
30720-060 - Belo Horizonte/MG



Telefone: (31) 3413-7507
dedodeprosa.tv@uol.com.br
Youtube Oficial
facebook.com/programa.dedodeprosa
facebook.com/encontronacionaldedodeprosa