Voltar para a 1ª página
Idosos merecem atenção redobrada

 

O final do ano costuma ser uma época de correria para as famílias. Planejamento e organização das ceias de Natal e ano-novo, festas, compra de presentes, amigos secretos, apresentações de fim de ano dos filhos, reuniões, plantão e, muitas vezes, viagem de férias.

Quem tem uma agenda lotada assim e ainda a responsabilidade pelos pais idosos precisa incluir mais itens na lista. Afinal, caso seja uma época de atividade muito intensa, que demande longos períodos de ausência, ou exista uma viagem marcada em que o idoso não possa ou não queira acompanhar, é preciso lançar mão de alternativas para garantir o bem-estar dos mais velhos.

Alguns filhos optam por deixar os pais em residenciais exclusivos para pessoas da terceira idade durante as festas de final de ano e as férias da família. Isso pode até proporcionar uma comodidade para os filhos, que viajam sabendo que os pais estão amparados em uma instituição -- desde que esta seja confiável e devidamente regulamentada.

Mas há os casos de idosos que preferem ficar no conforto de suas próprias casas. Além disso, é preciso ponderar os prós e os contras antes de institucionalizar um idoso, pois podem surgir impactos negativos na vida deles devido à estadia -- ainda que por pouco tempo -- nesse tipo de instituição. 'Esse período pode retirar a autonomia parcial que essas pessoas possuíam antes de irem para a instituição. E a convivência com gente com diferentes graus de lucidez e saúde pode trazer consequências, como depressão, para um idoso que se encontra mais saudável', diz Márcia Sena, especialista em qualidade de vida na terceira idade da Senior Concierge.

Lugar seguro

Uma opção para quem pretende -- ou precisa -- deixar os idosos em casa durante a viagem é preparar a residência de forma que se torne um ambiente seguro e aconchegante. Observar itens como a existência de tapetes e objetos que ofereçam risco de quedas, se existe a necessidade de instalação de barras de apoio ou corrimãos, as condições de iluminação, entre outros fatores, estão na lista de providências a serem tomadas. Uma novidade no Brasil é a existência de profissionais que fazem esse serviço, chamado de 'aging in place'. Em alguns casos, os prestadores de serviço visitam periodicamente o idoso durante o período de ausência dos familiares e até fazem companhia em compromissos e passeios.

São diversas questões a se pensar para garantir o bem-estar dos pais idosos. 'Não importa o grau de dependência, é preciso estar atento a todo tipo de necessidade. Os idosos mais ativos também precisam de cuidados, porque muitas vezes querem sair para fazer compras, resolver pendências sem incomodar os filhos', diz a especialista.
Outro item importante é a comunicação.

A época de fim de ano costuma trazer momentos de reflexão e, em alguns casos, de solidão para os mais velhos. É interessante incentivar que eles aprendam, por exemplo, a usar as ferramentas de chamada de voz com imagem pelo computador e até mesmo o uso de aplicativos de mensagens instantâneas pelos smartphones. 'É comum, neste período, os idosos ficarem melancólicos por se lembrarem das pessoas que já partiram e sentirem ainda mais a falta dos familiares que moram longe. Por isso, os filhos devem ficar cientes que merecem sim se divertir, mas também devem redobrar a dose de cuidado e amor com os entes queridos da terceira idade', reforça Márcia.

Fonte: Jornal Cruzeiro

Dedo de Prosa Produções
Rua Riachuelo, 1452 - Sala 205
Bairro Padre Eustáquio
30720-060 - Belo Horizonte/MG



Telefone: (31) 3413-7507
dedodeprosa.tv@uol.com.br
Youtube Oficial
facebook.com/programa.dedodeprosa
facebook.com/encontronacionaldedodeprosa