Voltar para a 1ª página
Universidades dão descontos para idosos

 

O meio acadêmico volta as suas atenções para o pessoal da Terceira Idade. Universidades públicas e privadas têm adequado suas propostas pedagógicas para melhor atender um público cada vez mais presente nas salas de aula dos cursos de graduação. Algumas instituições de ensino privado, como a Estácio de Sá e a Celso Lisboa, oferecem descontos que chegam a 30%, ao longo de todo o curso, para alunos com mais de 60 anos de idade. A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) mantém alunos em cursos regulares.

Esse movimento vem na esteira do aumento da qualidade e da expectativa de vida dos brasileiros, que tendem a viver mais. Segundo dados do IBGE, até 2050 o número de idosos na população do país vai aumentar de aproximadamente 600 milhões para quase dois bilhões. Assim, pela primeira vez na história brasileira, haverá nos próximos 50 anos, mais pessoas com mais de 60 anos de idade, do que os menores de 15 anos.

O diretor acadêmico do Centro Universitário Celso Lisboa, Márcio Martins, explicou para a coluna que diante deste quadro admitir idosos nas universidades passa a ser uma necessidade real. A iniciativa visa possibilitar, segundo ele, não somente a inclusão desse grupo, mas contribuir para a construção de melhores anos vividos para quem está nessa faixa etária.

“A aceitação perpassa o campo da qualidade de vida, da autoestima, da produtividade, do maior respeito e da confiança no idoso. Agrega a troca de experiências entre eles e os jovens nos espaços acadêmicos, partindo de conceito muito mais andragógico (ciência que se ocupa do processo de ensino-aprendizado de adultos)”, afirma.

Para o diretor, com a expectativa de crescimento da população de idosos, instituições educacionais devem se preocupar na adequação desta realidade, “concebendo proposta pedagógica de ensino voltada para as especificidades dos mais velhos”. As três universidades juntas — Estácio de Sá, Celso Lisboa e UFRJ — possuem 1.763 estudantes da Terceira Idade em seus cursos regulares de graduação. Somente a Estácio tem em sala de aula, de acordo com a própria instituição, 1.595 alunos com mais de 60 anos. Os cursos mais procurados são os de Psicologia, História, Direito e Gastronomia.

Já na Celso Lisboa 128 alunos idosos cursam o Nível Superior. A UFRJ tem 40 estudantes com mais de 60 anos, sendo que 21 deles entraram nos últimos dois anos, em cadeiras como História, Serviço Social e Letras.

Pressão política

Não é só o Sindicato Nacional dos Aposentados, ligado à Força Sindical, que vai aproveitar o ano eleitoral para pressionar os políticos para apoiar as reivindicações da categoria. Depois que o sindicato recebeu o presidenciável Aécio Neves (PSDB-MG) para uma sabatina, a Confederação Brasileira dos Aposentados (Cobap) se reuniu com Zé Maria, pré-candidato do PSTU.

Promessas ouvidas

Segundo Warley Martins, presidente da Cobap, Zé Maria apresentou seu plano de governo aos dirigentes da confederação e de federações filiadas. O pré-candidato garantiu defender reajuste maior das aposentadorias e pensões, além da extinção do fator previdenciário. A Cobap também levou propostas a políticos do PTB, partido da base do governo Dilma.

Fonte: IG

Dedo de Prosa Produções
Rua Riachuelo, 1452 - Sala 205
Bairro Padre Eustáquio
30720-060 - Belo Horizonte/MG



Telefone: (31) 3413-7507
dedodeprosa.tv@uol.com.br
Youtube Oficial
facebook.com/programa.dedodeprosa
facebook.com/encontronacionaldedodeprosa