Voltar para a 1ª página
Prevenção de acidente doméstico em idosos traz mais qualidade de vida

 

Cerca de 30% dos idosos sofrem quedas dentro de casa anualmente. É o que aponta o DataSUS, órgão ligado ao Ministério da Saúde. Essas ocorrências tendem a crescer entre as pessoas com mais de 85 anos, podendo chegar até a 51%. Junto com as quedas, os riscos de fraturas também aumentam: de 5% a 10% das quedas resultam em ferimentos mais graves nos idosos.

O número revela que os acidentes domésticos ainda são a principal causa de lesões e traumas na população idosa. Por isso, a prevenção de acidentes domésticos pode ser decisiva para a saúde do idoso. Entre as principais causas de traumas em idosos estão as quedas dentro de casa, que representam cerca de 75% dos casos, segundo o DataSUS.

Em Minas Gerais, por exemplo, o número de idosos acima de 70 anos que chegam ao Hospital João XXIII, da Rede Fhemig, vítimas deste tipo de ocorrência, é alto. De janeiro a outubro de 2013, foram 927 casos, sendo 601 mulheres. De acordo com a gerente assistencial do HPS Vânia Tannure, os traumas mais comuns nestes casos são fraturas no fêmur, punho, tórax e traumatismo craniano, que podem desencadear em outras doenças, principalmente as respiratórias, como pneumonia e embolia pulmonar, pelo fato do idoso ter que ficar imobilizado, sem poder se movimentar.

Caso a pessoa idosa sofra uma queda, o familiar ou acompanhante deve pedir que ela movimente os membros e verificar qualquer reclamação: “Se houver qualquer resposta positiva de dor, dificuldade de movimentação, dor no tórax, movimentação no pescoço, o idoso deve se manter deitado e aguardar pelo atendimento pré-hospitalar”, alerta Vânia.

Prevenção

Cuidados simples em casa podem evitar acidentes. Algumas dicas importantes são manter poucos móveis dentro de casa, não usar tapete, não colocar objetos de uso diários em locais altos, instalar corrimãos nas escadas e evitar pisos escorregadios, especialmente nos banheiros.

Outro problema são as queimaduras, causadas muitas vezes via acidente doméstico. Embora não seja determinada uma conduta específica para pessoas mais velhas que passem por esse tipo de situação, é sabido que os idosos que sofrem queimaduras necessitam cuidados especiais, já que seu sistema imunológico e sensibilidade já não são mais os mesmos de um adulto saudável, e doenças como diabetes dificultam a cicatrização.

Normalmente, segundo o neurologista do Hospital João XXIII, Dr. Rodrigo Faleiro, queimaduras ocorrem por motivos clínicos como diminuição nos reflexos, artrose, e problemas na visão, como cataratas, que contribuem para que a pessoas de mais idade tenham dificuldades ao manusear panelas e outros utensílios de cozinha. A diminuição da sensibilidade para as temperaturas também facilita para que o idoso se queime quando bebe ou come algo quente.

Caso o idoso sofra uma queimadura de pequena extensão, é importante resfriar o local com água corrente. Seque o local com um pano limpo e cubra o ferimento com compressas de gaze. Mantenha a região queimada mais elevada que o resto do corpo, para evitar inchaços. É fundamental também a ingestão de bastante água para hidratação. Não use nenhuma pomada ou produto doméstico na ferida. Em qualquer circunstância, chame o socorro.

 

dicas.jpg

Fonte: Canal Minas Saúde

Dedo de Prosa Produções
Rua Riachuelo, 1452 - Sala 205
Bairro Padre Eustáquio
30720-060 - Belo Horizonte/MG



Telefone: (31) 3413-7507
dedodeprosa.tv@uol.com.br
Youtube Oficial
facebook.com/programa.dedodeprosa
facebook.com/encontronacionaldedodeprosa