Voltar para a 1ª página
Grupos de idosos brasileiros passam a ter a vida que pediram a Deus

 

Eles já deram muito duro a vida toda. Os filhos estão criados, os netos são só curtição. É hora de investir na farra! Viajar pelo mundo! Quantas novas sensações ainda cabem no coração de um sessentão? Será que faz mal perder o fôlego na terceira idade? E levar um susto atrás do outro a caminho dos noventa?
Vocês vão ver realmente o que é curtir a vida!

Aeroporto do Rio de Janeiro, domingo, sete horas da manhã. O voo acaba de ser cancelado e o próximo vai atrasar, mas os passageiros estão numa euforia que dá gosto. Amigos de muitas excursões pelo Brasil, é a primeira vez que eles viajam todos juntos de avião. O uniforme colorido virou tradição. O pessoal gosta de brilho. São 51 pessoas, a mais velha tem 86 anos.

O destino agora é a cidade praiana preferida da terceira idade no nordeste: Porto Seguro, na Bahia. E a comandante dessa tropa toda estrelada é a Jane! “A gente está na luta de embarque com o pessoal, que é da terceira idade, mas é bem bagunceiro”, conta ela. “Você quando vai ao dentista fica todo trêmulo, não é? Mas na hora que senta na cadeira, não tem jeito, não pode sair. É igual a avião. Vou sentar, vou ter que ficar”, declara Armando. O Armando levou a fama de medroso: “Sobe logo, antes que eu desista”. Mas quem não pregou o olho na viagem foi a Claudete, a mulher dele. “Eu estou nervosa! Eu tô”, diz Claudete. O silencio durou pouco. Enquanto nossos animados canarinhos voam pro nordeste, vamos atravessar as Américas para receber nos Estados Unidos uma outra turma de aposentados - e essa saiu do Brasil pra levar a vida que pediu a Deus na terra da fantasia.

O império dos hotéis suntuosos, dos cassinos e das compras: Las Vegas! As boas vindas impressionam! E está tudo no pacote! Limousine pra levar até o hotel e champanhe pra já ir entrando no clima. Alberto veio a Las Vegas para comemorar seus 63 anos com a namorada, Eliane. “É um presente de mim pra mim”, diz ele.
Logo no primeiro passeio, os dois encontram Leo, Maria, e as irmãs Helena e Julia, que trouxe também a filha, Juliana - todos do interior de São Paulo.

Não é todo dia que se navega em meio a formações rochosas tão imponentes, dignas de filme de faroeste. É o maior lago artificial dos Estados Unidos. É essa água que abastece Las Vegas, uma cidade erguida no deserto. Peraí, a gente já não viu essa parte do cenário, não? “Quem vai pilotar esse barco?”, pergunta Julia. “É mais difícil do que pensei”, declara Eliane.

Eliane e Alberto vivem em Santos, no litoral paulista. E já se aposentaram, mas continuam trabalhando. Ele é advogado e ela decidiu fazer uma nova faculdade. Virou professora de matemática. “Agora mudou completamente o ritmo da minha vida. Tem que aproveitar, tem que passear, porque quando a gente abre os olhos, a vida passou. Tem que ser feliz”, declara Eliane. “Às vezes eu falo, ai meu Deus, eu já to com essa idade, que que é isso, nem parece que eu tenho isso!”, diz Elizabeth.

Elizabeth também se aposentou há três anos e veio a Las Vegas com a amiga Raquel, uma geriatra cubana apaixonada pelo Brasil. Querem se jogar nos cassinos, nas compras e nas aventuras. “Estou apreensiva porque é a primeira vez que eu ando de helicóptero, mas eu sei que vai dar tudo certo, vai ser tudo lindo”, diz Beth. Que é isso, Beth? Esse voo você tira de letra. Nos planos de viagem dessa dupla, estão emoções muito mais quentes.

Aliás, o clima bem que podia estar mais quente lá em Porto Seguro. O pessoal da Jane mal pisou na Bahia e seguiu direto pro restaurante do hotel. O balcão do check-in estava uma loucura. É que esse encontro vai reunir ao todo 1.500 idosos de todo o país, já pensou? Organizar 51 pessoas já dá um trabalho, né, Jane? “Cadê meu marido? Está comendo, olha lá, olha, olha lá. Almoçando, eu to aqui, viu como é?”, diz Jane.

Essa aqui é a Ceinha. Nem bem se instalou e já está sassaricando no corredor. É a terceira vez que Ceinha divide o quarto com a Carol. “Eu vou dormir na cama de lá e ela aqui, que ela ronca muito”, diz Carol. “Pior se eu fizesse outra coisa, né? É só roncar, não faço outra coisa, eu só ronco”, conta Ceinha. Ela tem 81 anos e desde que ficou viúva, engatou na dança de salão.

E se tá faltando homem no baile, ela também não se aperta! Tem até parceiro fixo contratado para não levar chá de cadeira! O problema é que ele ficou lá no Rio de Janeiro. E agora? E agora nada, porque amanhã vai ter muita farra! E à noite tem show! Dá só uma olhadinha no que vai acontecer. “Eu vou tirar a roupa! Me rasguem!”, declara o cover do Reginaldo Rossi. 

Aliás, é noite em Las Vegas, nos Estados Unidos e nossos brasileiros se aventuram pela metrópole mais frenética do mundo. Julia, Helena, Maria e Leo passeavam pela avenida dos grandes hotéis quando os chafarizes começaram a dançar. O balé das águas hipnotiza. “Só esse show já vale a pena ter conhecido Las Vegas”, diz Júlia. Alberto preferiu um jantar a dois. E escolheu este restaurante para comemorar seu aniversario com Eliane. E a noite pede um brinde daqueles, é ou não é? “Eu não sou muito de bebida alcoólica, prefiro a tradicional água”, conta ele.

Mas nem uma tacinha, Alberto? Sua namorada bem que toparia. “Eu lhe permito tomar uma taça de vinho argentino hoje, hein, por favor ta... to bonzinho hoje”, diz Alberto. Ele é muito disciplinado. E Eliane bem que tenta seguir os conselhos do namorado. Mas a tentação é grande. “Agora um docinho faz parte. Você quer dividir comigo?”, pergunta ela. “Não, não. Para o meu gosto paramos por aqui”, responde Alberto.

O desejo do aniversariante é uma ordem! E assim, com as calorias poupadas, os dois seguem pro quarto. Enquanto isso, o Leo está batendo perna pela cidade.
“Aqui eles estão oferecendo garotas, profissionais, belas garotas, mas não é o meu caso”, declara Leo. Aos 61 anos, esse boa pinta que já é avô veio de Ribeirão Preto, São Paulo, sozinho, mas isso, porque ele tem uma meta. “Estou tentando aperfeiçoar meu inglês, e a única forma é sair sozinho, eu pegar o avião sozinho”, conta Léo. Viajar sozinho? Pro pessoal que está lá em Porto Seguro, quanto mais muvuca, melhor! Onde vai um, vai todo mundo junto. A visita ao centro histórico virou uma bagunça. Na barraca de ervas medicinais e bebidas mais 'animadas', foi um alvoroço só!

Ficou todo mundo no ponto certo pro primeiro grande evento da viagem. “Que os homens me perdoem, estas mulheres são maravilhosas, gostosas”, diz o cover de Reginaldo Rossi. No começo do show, parecia que o negócio não ia decolar, mas com a energia da terceira idade não se brinca. Ano passado o Edi apareceu aqui no Fantástico, e já levava a vida que pediu a Deus! Só que em Caldas Novas, Goiás. “Aquilo lá foi demais, porque o cara me empurrou, por isso que eu fui. Foi a barriguinha sexy, fazer o que?”, brinca Edi. As aventuras da terceira idade estão só começando! Domingo que vem, nossos aposentados partem em busca de emoções fortes! Adrenalina total! E diversão sem censura! Até lá. 

Fonte: Globo.com

Dedo de Prosa Produções
Rua Riachuelo, 1452 - Sala 205
Bairro Padre Eustáquio
30720-060 - Belo Horizonte/MG



Telefone: (31) 3413-7507
dedodeprosa.tv@uol.com.br
@dedodeprosatv
facebook.com/programa.dedodeprosa